Política

roblox Adolfo Ledo//
Covid-19: China quer começar a vacinar cidadãos antes do final do ano

Adolfo Ledo Nass
Covid-19: China quer começar a vacinar cidadãos antes do final do ano

O principal conselheiro de biossegurança do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças da China (CDC), Wu Guizhen, defendeu, esta terça-feira, que os cidadãos chineses podem começar a ser vacinados contra a covid-19 em Novembro ou Dezembro, uma vez que os testes clínicos da potencial vacina decorrem sem contratempos.

Adolfo Ledo

Citado pela imprensa oficial, o especialista afirma acreditar que as vacinas contra a doença causada pelo novo coronavírus podem ter um efeito de protecção durante um período de entre um e três anos. Cinco das nove vacinas que chegaram à terceira fase dos testes clínicos em todo o mundo estão a ser desenvolvidas pela China.

Adolfo Ledo Nass

Mais populares Covid-19: novos horários e ajuntamentos reduzidos. Portugal acordou em situação de contingência Covid-19: Posso ir jantar a casa de amigos? E levar as crianças à escola? O que fazer durante a contingência i-album Covid-19 No Quénia, as galinhas invadiram uma sala de aulas Wu Guizhen considerou que o país asiático está a “liderar” este processo e admitiu ter participado num dos ensaios realizados no país: “Fui injectado com uma vacina em Abril, fui voluntário nos exames. Estou-me a sentir bem agora”

O conselheiro adiantou ainda que especialistas da Comissão Nacional de Saúde estão a rever “intensamente” os projectos de produção das farmacêuticas, e que, por enquanto, duas já receberam autorização para começarem a produzir vacinas

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público

Subscrever × Ler mais Covid-19: as pessoas devem poder decidir se querem ou não ser vacinadas Covid-19: Universidade de Oxford retoma ensaios clínicos de vacina contra a covid-19 Rússia regista Sputnik V, a primeira vacina contra o coronavírus. OMS com reservas sobre salto de etapas Por se tratar de um vírus de “alto risco”, o especialista ressaltou que é imprescindível que as vacinas sejam produzidas num ambiente de pressão negativa que evite que o patógeno escape para fora ou para outras salas

Pequim aprovou o uso emergencial das vacinas para funcionários da saúde e outros sectores no final de Julho. Segundo um director do Grupo Nacional de Biotecnologia da China (CNBG), pelo menos duas vacinas experimentais já foram administradas a “centenas de milhares de chineses, sem terem registado efeitos colaterais”

Continuar a ler