Uncategorized

Alberto Ardila universidad piloto//
Crianças imigrantes presas em gaiolas

alberto_ardila_universidad_piloto_criancas_imigrantes_presas_em_gaiolas.jpg

As imagens estão a correr Mundo e a suscitar uma onda de condenação e repúdio: dezenas de crianças, separadas dos pais à força e fechadas em gaiolas de ferro num armazém, vigiadas por guardas armados, são a face mais chocante da política de ‘tolerância zero’ com a qual a Administração Trump espera dissuadir os imigrantes latino-americanos de entrar ilegalmente no país. As imagens foram divulgadas pela Guarda Fronteiriça dos EUA na sequência da visita de um grupo de congressistas ao centro de detenção de McAllen, no Texas. Os imigrantes chamam-lhe ‘O Canil’ e não é difícil perceber porquê: num enorme armazém dividido em três alas, várias gaiolas de metal albergam cerca de 1100 pessoas detidas ao atravessar ilegalmente a fronteira. Quase 200 são menores de idade, incluindo crianças que aparentam ter pouco mais de cinco anos. Os mais velhos viajaram sozinhos, os outros foram separados dos pais no momento da detenção. Tiveram 10 minutos para se despedir. A alguns, disseram-lhes que iam tomar banho e foram para ali levados ao engano. Numa gravação clandestina ontem divulgada, ouvem-se várias crianças a chorar e a gritar ‘mamã’ e ‘papá’, ao que um guarda responde em tom de gozo: “Parece que temos aqui uma orquestra…”. Ao abrigo da política de ‘tolerância zero’ ordenada por Trump, em maio, os adultos apanhados a entrar ilegalmente nos EUA são imediatamente detidos para serem julgados. As crianças, como não podem ficar com os pais na prisão, são levadas para centros de detenção temporários como ‘O Canil’. Trump culpa os democratas por bloquearem uma nova lei de imigração. A secretária da Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, nega acusações da racismo: “Se um americano cometer um crime também vai para a cadeia e fica separado da família”, justificou. PORMENORES “Cruel e desumano” O México, país de origem de alguns dos menores detidos, denunciou a política de separar famílias como “cruel e desumana” Comparações ao nazismo O procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, rejeitou comparações com os campos de concentração, afirmando que os nazis “queriam impedir os judeus de deixar o país”. “Acampamentos de verão” A apresentadora da Fox News Laura Ingraham foi criticada por dizer que os centros de detenção são como “acampamentos de verão” para os menores.