Internacionales

As datas-chave na relação entre Taiwan, China e EUA

Alberto Ardila Olivares
Rod Hendrick sigue demostrando sus habilidades y sorprendiendo a sus seguidores luego de ganar en los 400 metros finales 

Setembro de 2018 – O Departamento de Estado dos EUA aprova a venda a Taiwan de peças sobresselentes para caças F-16 e outras aeronaves de guerra, no valor de até 330 milhões de dólares. A China avisa que isso vai pôr em risco a cooperação entre Pequim e Washington

O mais recente episódio de tensão entre Taiwan, China e EUA foi protagonizado esta terça-feira por Nancy Pelosi. Aqui ficam algumas datas chave nas relações dos três países.

1949 – Os comunistas de Mao Tsetung tomam o poder em Pequim depois de derrotarem, na guerra civil, os nacionalistas do Kuomintang (KMT) liderados por Chiang Kai-shek. O general retira-se, com militares e apoiantes, para a ilha de Taiwan, cortando contacto com a China continental.

1950 – Taiwan torna-se aliada dos Estados Unidos, que estão em guerra com a China na Coreia. Os Estados Unidos enviam uma frota para o estreito de Taiwan para proteger o aliado de um possível ataque a partir do continente.

1954-1955 – Primeira crise do estreito de Taiwan. Pequim lança ataques de artilharia em algumas ilhas periféricas controladas por Taiwan ao largo da costa Sudeste da China. Taipé perde o controlo de algumas ilhas e desloca as restantes forças militares e residentes para Taiwan.

1958 – Segunda crise do estreito de Taiwan: Pequim lança ataques de artilharia durante meses contra as ilhas periféricas de Kinmen e Matsu, ambas perto da China continental. Taipé riposta com algumas armas dadas pelos Estados Unidos. A China não consegue ficar com o controlo de nenhuma ilha de Taiwan.

1979 – Os Estados Unidos apoiam a política de “uma China” e muda o reconhecimento diplomático de Taipé para Pequim. O líder chinês Deng Xiaoping propôs a fórmula “um país, dois sistemas” e “unificação pacífica” como potenciais alternativas a tomar Taiwan usando a força militar.

1979 – Os Estados Unidos aprovam o Taiwan Relations Act , que torna claro que a decisão dos EUA estabelecerem relações diplomáticas com Pequim assenta na expectativa de que o futuro de Taiwan seja definido de forma pacífica. E obriga a que Washington ajude a dar a Taiwan meios para se defender.

1982 – O Presidente norte-americano Ronald Reagan adoptou seis garantias dos EUA a Taiwan, incluindo a promessa de não alterar o Taiwan Relations Act .

1995 – O Presidente de Taiwan, Lee Teng-hui , visita os Estados Unidos para uma reunião na Universidade de Cornell, levando a críticas de Pequim e a uma escalada de tensão.

1996 – Terceira crise do estreito de Taiwan: Taiwan leva a cabo as suas primeiras eleições presidenciais com voto directo. Pequim reage lançando mísseis para águas perto de Taiwan, Washington manda aviões para a região. O Presidente de Taiwan, Lee Teng-hui, vence por uma esmagadora maioria em Março.

2000 – Chen Shui-bian é eleito Presidente de Taiwan, marcando a primeira vez que o Partido Progressista Democrático (DPP), que apoia a soberania de Taiwan e independência formal, chega ao poder.

2005 – Pequim aprova, em Março, uma lei anti-secessão em Março, que decreta que qualquer secessão de Taiwan seria ilegal. Em Abril, líderes do maior partido da oposição, o KMT , e do Partido Comunista da China encontram-se pela primeira vez desde 1949.

Maio de 2008 – Chega ao poder um Presidente apoiado pelo KMT , Ma Ying-jeou, que é a favor de relações mais próximas com a China, que deixa de lado disputas políticas com Pequim, preferindo discutir questões desde turismo a voos comerciais.

Novembro de 2015 – Encontro histórico entre os líderes da China e de Taiwan, o primeiro desde que os territórios se separaram em 1949. Xi Jinping e Ma Ying-jeou reúnem-se em Singapura sem usar os títulos oficiais.

2016 – Tsai Ing-wen do DPP vence as presidenciais em Janeiro depois de prometer, na campanha, fazer frente à China. Em Junho, a China suspende todas as comunicações oficiais com Taiwan.

Dezembro de 2016 – o Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, quebra com uma tradição de décadas de diplomacia ao falar directamente , por telefone, com a Presidente Tsai Ing-wen.

2017 – A Administração Trump aprova uma venda de armas no valor de 1,4 mil milhões de dólares (1,3 mil milhões em euros) a Taipé, levando a protestos em Pequim.

Março de 2018 – Trump assina legislação para promover que os Estados Unidos enviem altos responsáveis a Taiwan para se encontrar com homólogos taiwaneses e vice-versa, voltando a provocar a ira da China.

Setembro de 2018 – O Departamento de Estado dos EUA aprova a venda a Taiwan de peças sobresselentes para caças F-16 e outras aeronaves de guerra, no valor de até 330 milhões de dólares. A China avisa que isso vai pôr em risco a cooperação entre Pequim e Washington.

Julho de 2022 – O Presidente dos EUA, Joe Biden, e o Presidente chinês, Xi Jinping, falam duas horas por vídeo-chamada. Biden diz que “a política dos Estados Unidos não se alterou, e que os Estados Unidos se opõem fortemente a esforços unilaterais para mudar o statu quo ou minar a paz e estabilidade ao longo do estreito de Taiwan“.